Amigos

A PAZ DO SENHOR...

Seguidores

Você Está Buscando...

Página Gospel10

Página Gospel+

RSS atualizado do Gospel +. Powered by Notícias Gospel

domingo, 6 de dezembro de 2009

Davi e o Preço da Negligência na Família- Lição 10

TEXTO ÁUREO

Que governe bem a sua própria casa, tendo seus filhos em sujeição, com toda a modéstia ( 1 Tm 3.4).

VERDADE PRÁTICA

Não adianta termos êxito em tudo se a nossa família é uma prova do nosso fracasso.

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE

2- E angustiou-se Amnom, até adoecer, por Tamar, sua irmã, porque era virgem; e parecia, aos olhos
de Amnom, dificultoso fazer-lhe coisa alguma.
5- E Jonadabe lhe disse: Deita-te na tua cama, e finge-te doente; e, quando teu pai te vier visitar,
dize-lhe: Peço-te que minha irmã Tamar venha, e me dê de comer pão, e prepare a comida diante dos meus olhos, para que eu a veja e coma da sua mão.
10- Então, disse Amnom a Tamar: Traze a comida à câmara e comerei da tua mão. E tomou Tamar os
bolos que fizera e os trouxe a Amnom, seu irmão, à câmara.
11- E, chegando-lhos, para que comesse, pegou dela e disse-lhe: Vem, deita-te comigo, irmã minha.
12- Porém ela lhe disse: Não, irmão meu, não me forces, porque não se faz assim em Israel; não faças
tal loucura.
14- Porém ele não quis dar ouvidos à sua voz; antes, sendo mais forte do que ela, a forçou e se deitou
com ela.
15- Depois, Amnom a aborreceu com grandíssimo aborrecimento, porque maior era o aborrecimento
com que a aborrecia do que o amor com que a amara. E disse-lhe Amnom: Levanta-te e vai-te.

Davi e o Preço da Negligência na Família

                           Os problemas preditos por Natã, o profeta, agora atingem a família de Davi. Seu filho Amnon viola sua meio-irmã, Tamar ( 2 Sm 13.1-19. Absalão aconselha sua irmã, Tamar, a não comentar o ocorrido, mas decide matar Amnon (vv.20-22). Durante dois anos, ele mantém o seu plano em segredo. Absalão,então, convida sua insuspeita vítima e o restante dos filhos do rei para uma festa. Lá, seus servos matam Amnon. Absalão, por sua vez, refugia-se num país estrangeiro (vv. 23-39). Ele, agora, é o próximo na linhagem para o trono, mas em exílio. Joabe, que havia projetado apoiar Absalão politicamente, engendra um plano para trazê-lo de volta (vv. 14.1-23). Mas Davi recusa-se a ver seu filho por dois anos. Finalmente, Absalão força Joabe a interceder por ele junto ao rei e Davi o acolhe ( vv. 24-33).
          Implicações políticas. A história de Tamar/ Amnon / Absalão não é simplesmente um conto de luxúria e vingança de um irmão. Amnon, como filho mais velho de Davi ( 2 Sm 3.2-5), era o primeiro na linhagem real. Quiliabe havia aparentemente morrido, assim Absalão era o próximo na linhagem depois de Amnon. Precisamos entender as implicações políticas dos eventos para entender completamente a história.
           Frustração de Amnon ( 2 Sm 13.2). A frustração de Amnon foi luxúria misturada com ódio, não amor. Hoje consideramos que estupro não é simplesmente um ato sexual, mas também uma expressão de hostilidade e agressão. A beleza de Tamar, misturada com a hostilidade de Amnon por Absalão , fez com que a molestasse para feri-lo.
           Jonadabe ( 2 Sm 13.3). Esse primo de Amnon e Absalão é descrito como “sagaz”. A palavra hebraica pode ser traduzida como “astuto”. Ele entendeu claramente as motivações do príncipe real (cf. vv. 32-33). Como todos os muitos “amigos”, Jonadabe está sempre pronto a insinuar-se para encontrar um meio para os outros fazerem o que querem fazer, seja isso correto ou não. Não confunda os Jonadabes que conhece como amigos. Um verdadeiro amigo nos recriminará quando estivermos errados ( cf. Pv 27.6).
           Poderia ter Amnon se casado com Tamar? ( 2 Sm 13.13). A Lei do AT proíbe casamento entre irmãos ( cf. Lv 18.9,11; 20.17; Dt 27.22). Contudo, Gênesis 22.12 pode servir como um precedente. Escritores rabínicos sugerem que Tamar era ilegítima, e que o casamento podia acontecer. A questão, entretanto, é que Amnon não queria casar-se com Tamar. Ele queria humilhá-la e assim atingir a seu irmão Absalão.
           A inércia de Davi. Enquanto esse estupro não era um crime capital, o estupro de Amnon a uma virgem livre requereria o casamento obrigatório e o pagamento do preço de uma noiva ( cf. Dt 22.28-29). Ainda que furioso, por alguma razão, Davi não toma essa ( ou qualquer outra!) atitude. Pais intervêm demais para proteger filhos e filhas das consequências das suas atitudes erradas. Somente quando as más ações são traçadas apropriadamente, os erros futuros são impedidos.

           Tamar ( 2Sm 13.20). Tamar é verdadeiramente a vítima aqui. “Desolada”, e sem filhos, prenuncia talvez uma morte prematura. Ela podia ter conhecimento da intenção de vingança de Absalão, porém vingança é um pequeno consolo. Ninguém envolvido parece ter tentado tomar qualquer atitude para consolá-la. Mais tarde, Absalão deu o nome de Tamar à sua filha. Aparentemente ele tinha alguma afeição por sua irmã, mas não o suficiente para consolá-la enquanto cumpria seu plano de vingança e avanço político.
           Um paralelismo literário? ( 2 Sm 14.1-14). A história fictícia narrada pela mulher tecoíta, não se ajusta ao caso de Absalão. Ele se envolveu num assassinato premeditado com reconhecida intenção de hostilidade ( 2 Sm 13.32). Em Direito Penal denomina-se um caso desses como homicídio doloso. Davi só pode ter cedido ao apelo da mulher porque desejava muito ter seu filho de volta ( cf. 37-380. Cuide-se quando outros encontram razões para induzi-lo a fazer o que você mesmo deseja ardentemente.
           Planos de Deus ( 2 Sm 14.14). Deus tem duas maneiras de tratar o pecado. Uma é o caminho do perdão: nosso reconhecimento do pecado e arrependimento. A outra, é o caminho da punição: o cumprimento da penalidade que a lei estipula. Davi chamou de volta seu filho fugitivo, mas não o fez dentro dos moldes de Deus. Não coloque panos quentes sobre os pecados de alguém. Nem assuma prerrogativas como se fosse Deus. Você não é.

                           Alguns pais toleram as faltas de um filho, alegando que ele é muito jovem para a correção, ou que ele “não adotará” o comportamento errado. O autor de Provérbios adota uma visão diferente. Uma correção agora não matará seu filho, mas evitará que uma característica possa enraizar-se ( Pv 23.13-14)!
           O papel dos pais( Pv 23.19-26).Os provérbios acima, assim como Pv 23.19,22, sugerem um elemento importante no papel do pai nos tempos do AT. Na cultura hebraica, o pai era a cabeça da casa e, juntamente com a mulher, deveria ser respeitado e honrado pelos outros membros da família ( cf. Êx 20.12; 21.15,17). O pai também era principalmente responsável pelo bem–estar econômico da família ( Dt 1.31). Assim ,no AT, “as viúvas e os órfãos” ( Sl 146.9) são uma expressão que significa, simplesmente, o fraco e o necessitado. A principal responsabilidade do pai era cuidar da disciplina e da direção espiritual dos filhos. Isso está refletido em Provérbios ( cf.também 10.1; 15.20; 17.21) e também em outras passagens ( Dt 6.4-9; 32.7,45-47; e Is 38.19). Enquanto cada indivíduo é responsável por sua própria escolha na vida, a instrução do pai á vista como inestimável por manter um filho no caminho da santidade. Assim, o autor de Provérbios diz: “ouve a teu pai, que te gerou” e “sê sábio” ( Pv 23.19,22).
          Honra a teu pai e a tua mãe ( Ef 6.2). Isso envolve mais do que obediência. Pode ser, tão somente, concordância com as exigências de uma pessoa mais forte. Honra envolve respeito e estima.
          O primeiro mandamento, com promessa ( Ef 6.2). O texto não está associado à promessa do primeiro dos Dez Mandamentos. Precisamos colocar uma vírgula para podermos entender a proposta paulina. Esse é o primeiro ( protos) mandamento. Os pais, antes de qualquer coisa, devem apresentar o filho a Deus e a seus caminhos. Se os filhos respeitam os pais , serão sensíveis à educação que estes lhes transmitem. Assim, conhecerão a Deus e terão longa vida sobre a terra. ( RICHARDS, Lawrence O.. Guia do Leitor da Bíblia. Rio de Janeiro, CPAD,2005, pp. 212,392,802).

Graça dominical

O Lar Transformado pela Palavra

Amarás, pois, o SENHOR, teu Deus, de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu
poder ( Dt 6.5)

          O lar tem sido chamado de muitos nomes. É o lugar onde a vida se decide... onde o caráter se desenvolve num ambiente de amor e aceitação... onde tudo se desgasta exceto as boas-vindas.
          É também o cenário ideal para aprender nas salas-de-aula da vida.
          A escola é um lugar maravilhoso para aprender os rudimentos da cultura. Mas há outras lições que só podem ser ensinadas e aprendidas no viver crucial diário. É necessário mais que uma carteira escolar e uma lousa: é preciso do contexto amoroso de um lar.
          Os momentos de aprendizado na vida de uma criança chegam frequente e comumente sem serem anunciados. Durante uma refeição... na hora de dormir... indo para a escola... dirigindo para uma loja. Só um pai atento notará tais momentos; e todo pai sábio tirará vantagens deles, pois representam oportunidades de escolha para unir a criança à verdade transformadora de Deus.

          ... lemos os Dez Mandamentos, os amplos princípios morais para viver ao modo de Deus. Talvez como pai você tenha se perguntado qual dos dez era o mais importante- o qual tentaria ensinar primeiro ao filho. Abra a Bíblia em Mateus 22.35-38, e lá encontrará o “primeiro e grande mandamento”:
          “Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento”(vv. 37).
          E que melhor lugar para praticar esse mandamento que na mesa do café... dirigindo o carro... cuidando da casa.
          Onde dois ou três estiverem reunidos... alguém derruba o copo cheio na mesa! E se a Palavra de Deus tem algo a dizer em seu lar. Imagine que diferença pode fazer em seu mundo.( Caminhada Diária- Edição Especial. Editora Sepal. São Paulo).

Nenhum comentário:

Resposta de Deus