Amigos

A PAZ DO SENHOR...

Seguidores

Você Está Buscando...

Página Gospel10

Página Gospel+

RSS atualizado do Gospel +. Powered by Notícias Gospel

sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

A Glória do Ministério Cristão

LIÇÃO 3 – A GLÓRIA DO MINISTÉRIO CRISTÃO - 1º TRIMESTRE DE 2010

TEXTO ÁUREO
"E graças a Deus, que sempre nos faz triunfar em Cristo e, por meio de nós, manifesta em todo lugar o cheiro do seu conhecimento" (2 Co 2.14).

VERDADE PRÁTICA
A glória do ministério cristão está na simplicidade e sinceridade com que se prega o evangelho e na salvação e edificação dos fiéis.

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE
2 Coríntios 1.12-14,21,22; 2.4,14-17
2 Coríntios 1
12 - Porque a nossa glória é esta: o testemunho da nossa consciência, de que, com simplicidade e sinceridade de Deus, não com sabedoria carnal, mas na graça de Deus, temos vivido no mundo e maiormente convosco.
13 - Porque nenhumas outras coisas vos escrevemos, senão as que já sabeis ou também reconheceis; e espero que também até ao fim as reconhecereis,
14 - como também já em parte reconhecestes em nós, que somos a vossa glória, como também vós sereis a nossa no Dia do Senhor Jesus.
21 - Mas o que nos confirma convosco em Cristo e o que nos ungiu é Deus,
22 - o qual também nos selou e deu o penhor do Espírito em nossos corações.
2 Coríntios 2
4 - Porque, em muita tribulação e angústia do coração, vos escrevi, com muitas lágrimas, não para que
vos entristecêsseis, mas para que conhecêsseis o amor que abundantemente vos tenho.
14 - E graças a Deus, que sempre nos faz triunfar em Cristo e, por meio de nós, manifesta em todo lugar o cheiro do seu conhecimento.
15 - Porque para Deus somos o bom cheiro de Cristo, nos que se salvam e nos que se perdem.
16 - Para estes, certamente, cheiro de morte para morte; mas, para aqueles, cheiro de vida para vida. E, para essas coisas, quem é idôneo?
17 - Porque nós não somos, como muitos, falsificadores da palavra de Deus; antes, falamos de Cristo com sinceridade, como de Deus na presença de Deus.

SUBSÍDIO PARA A GLÓRIA DO MINISTÉRIO CRISTÃO
Palavras-chave: Espírito Santo, selo, penhor, cheiro de Cristo, triunfo.

     São impressionantes a vulnerabilidade e transparência de Paulo, especialmente se levarmos em conta o fato de que ele escreve a uma igreja onde muitos lhe fazem franca oposição. Após breve saudação (2 Co 1.1,2), Paulo louva a Deus pelo conforto concedido (vv. 3-7). O extraordinário apóstolo partilha livremente de seus momentos de desespero e tribulação (1.8-11). Cuidadosamente, também explica as razões de sua demora em planejar a visita a Corinto (1.12-2.4). Uma consequência bastante positiva da primeira carta de Paulo à igreja é o arrependimento de um irmão envolvido em práticas imorais ( 1 Co 5.1-8). Os coríntios atenderam as instruções de Paulo e afastaram o pecador do seio da comunidade. A partir daí, Paulo os impele a serem compassivos e dar-lhes boas-vindas por ocasião de seu retorno (2.5-11). Em contínua humildade, Paulo expressa mais uma vez seu próprio sentimento de inadequação pessoal, pois ele é o agente de um evangelho com impacto na vida e na morte (vv. 12-16). Como poderia Paulo banalizar o evangelho, mercadejando a palavra de Deus ou deixar de ser absolutamente honesto e sincero? (v.17).
      Paulo conhecia a importância da honestidade e da sinceridade nas palavras e ações, especialmente em uma situação como a de Corinto, onde a crítica construtiva era necessária. Por essa razão, Paulo não se aproximou deles demonstrando grande conhecimento humano (sabedoria terrena). Deus quer que sejamos verdadeiros e transparentes em todos os nossos relacionamentos. Se não o for assim, poderemos nos rebaixar, passando a divulgar rumores, fofocas e a ter segundas intenções.
     Paulo havia feito recentemente uma breve e não programada visita a Corinto que foi muito dolorosa tanto para ele como para a igreja (v 2 Co 2.1). Depois dessa visita, ele informou à igreja quando retornaria. Porém mudou seu plano de viagem. Em vez de navegar de Éfeso a Corinto antes de ir à Macedônia, o apóstolo viajou de Éfeso diretamente para a Macedônia, de onde escreveu uma carta aos coríntios que causou-lhe muita angústia, e a eles muita tristeza (7.8,9). Paulo fez seus planos originais pensando que a igreja resolvido seus problemas. Porém quando chegou o momento de sua viagem antecipadamente agendada a Corinto, a crise não estava completamente resolvida (embora houvesse progresso em algumas áreas – 7.11-16. Assim Paulo escreveu uma carta (2.3,4; 7.8), porque outra visita poderia piorar a situação. Deste modo, Paulo ausentou-se de Corinto porque estava preocupado com a unidade da igreja, e não porque fosse inconstante.
     Indigno de confiança (2 Co 1.12-2.4). Paulo mudara os planos de uma viagem que o levaria para Corinto. Seus inimigos usaram a mudança para chamá-lo de não confiável, além de acusá-lo de um tirano, que não se importava com os que governava de maneira tão autoritária.
Esta acusação feriu profundamente o apóstolo. Como uma pessoa compromissada em servir a Deus, cuja qualidade essencial é a fidelidade, poderia agir por um simples capricho? (1.17-22). Paulo mudara seus planos em decorrência de uma visita em uma ocasião penosa tanto para os intransigentes coríntios como para si mesmo. Que tolice a nossa atribuir aos outros os piores motivos por suas ações. Por outro lado, como é importante comunicarmos os motivos e razões de nossos próprios atos.
     O perfume do Evangelho (2 Co 2.14-17). O Dicionário Expositivo de Palavras Bíblicas (Zondervan, 1985) afirma: “Assim como o sacrifício para o pecado, oferecidos nos altares do Antigo Testamento, exalavam aroma agradável ... assim também o ministério e a vida de Paulo ... levaram pelo ar a fragrância única da sabedoria de Deus ao seio da humanidade. O odor atrai uns e repele a outros. A resposta de alguém faz a diferença entre a vida e a morte.”
     O Espírito Santo como selo e penhor (2 Co 1.22; Ef 1.13,14; 4.30; 2 Co 5.5). Devemos observar que, nos tempos bíblicos, o selo era usado para designar a posse de uma pessoa sobre algum objeto ou coisa por ela selada. Por conseguinte, indicava propriedade particular, segurança e garantia. Este selo, portanto, não é o batismo com o Espírito Santo, mas a habitação do Espírito no crente, como prova de que o mesmo é propriedade particular de Deus.
     Juntamente com o selo é mencionado o “penhor da nossa herança” (Ef 1.14). De modo semelhante ao selo, o penhor era o primeiro pagamento efetuado na aquisição de uma propriedade. Mediante esse “depósito”, a pessoa assegurava o objeto como sua propriedade exclusiva. Assim, o Senhor deu-nos o Espírito Santo, como garantia de que somos sua propriedade exclusiva e intransferível. O Senhor Jesus “investiu” em nós imensuráveis riquezas do Espírito como penhor ou garantia de que muito em breve Ele virá para levar para Si sua propriedade peculiar, a Igreja de Deus( Tt 2.14).
     O triunfo aqui (2 Co 2.14) é como o dos romanos, no qual uma homenagem pública e solene era feita a um general vitorioso, concedendo-lhe um magnífico cortejo pela cidade de Roma. Isto não lhe era concedido pelo senado a menos que ele tivesse tido uma vitória muito importante e decisiva ou conquistado uma província. Em tais ocasiões , o general usava vestes de púrpura e ouro feitas com motivos que exibiam seus feitos. Usava uma coroa e segurava em uma das mãos um ramo de laurel, o emblema da vitória. Na outra mão, levava seu bastão. Ele era conduzido por um carro imponente, enfeitado com marfim e objetos de ouro, e puxado por cavalos brancos. Para mantê-lo humilde em meio a tudo isso, um escravo seguia na sua retarguarda, dizendo insultos e repreensões, e enunciando seus defeitos e fracassos. Os musicistas conduziam o cortejo; homens jovens cuidavam dos sacrifícios que seriam oferecidos; então vinha uma porção de despojos, seguidos por reis, príncipes e generais levados cativos. Depois deles, surgia o carro triunfal diante do qual o povo espalhava flores e lançava brados de triunfo. Em seguida vinha o senado, os sacerdotes e o restante do desfile. O triunfo em Cristo significa completo domínio sobre os poderes satânicos (v. 14; Cl 2.14-17; Ef 2.14,15)...Tal triunfo em Cristo, como o que é descrito aqui(2.14), manifesta a fragrância do seu conhecimento por meio de ministros triunfantes onde quer que sirvam. . (Teologia Sistemática Pentecostal. Rio de Janeiro, CPAD, 2008, pp. 188; Bíblia de Estudo Aplicação Pessoal. Rio de Janeiro, CPAD, 2004, pp. 1611-12;Bíblia de Estudo Dake. Rio de Janeiro, CPAD, Editora Atos, 2009, pp.1854; RICHARDS, Lawrence O. Guia do Leitor da Bíblia. Rio de Janeiro, CPAD,2005, pp.775).

GRAÇA DOMINICAL
Selado com Espírito
Tendo nele... crido, fostes selados com o Espírito Santo da promessa. Efésios 1.13.

     O famoso “selo” do Novo Testamento ocorreu na sepultura de Jesus. Os soldados romanos colocaram uma grande pedra uma grande pedra na entrada do túmulo e “puseram um selo de segurança na pedra” (Mt 27.66 – NTLH). Os arqueólogos imaginam que havia duas fitas esticadas junto à entrada, coladas com cera endurecida, e que traziam a insígnia do governo romano – SPQR (Senatus Populusque Romanus) como se fosse um aviso dizendo: “Não se aproxime! O conteúdo desse túmulo pertence a Roma”. Esse selo, é claro, revelou-se inútil.
     O selo do Espírito, entretanto, se mostrou poderoso. Quando você aceitou a Cristo, Deus lhe selou com o Espírito “Tendo nele... crido, fostes selados com o Espírito Santo da promessa”.
     Quando os intrusos do inferno se aproximam para tentar lhe arrancar da santa presença de Deus, o selo os manda embora. Ele comprou você, Ele é o seu dono, e lhe protege. Deus pagou um preço muito alto para deixar você desguarnecido. (LUCADO, Max. Graça para o Momento- Vol. II. 1ª Ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2008, pp. 215).

QUESTIONÁRIO LIÇÃO 3 – A GLÓRIA DO MINISTÉRIO CRISTÃO – 1º TRIMESTRE 2010 – Elaborado por Jonilson Barros Caldas

ALUNO _____________________________________________
CLASSE __________________________________ NOTA ____

1) Em 2 aos Coríntios 1.22, Paulo declara que ele e seus companheiros foram selados e receberam “o penhor do Espírito Santo.” Sabendo-se que o “selo” é um elemento que denota posse e autoridade num documento é correto afirmar que a única verdadeira é:
a- Em Cristo, os crentes são selados com o Espírito Santo, tornando-se propriedade exclusiva do Senhor;
b- Em Cristo, alguns crentes são selados com o Espírito Santo, tornando-se propriedade exclusiva do Senhor;
c- Embora o crente receba o selo do Espírito Santo, isto não significa que ele seja propriedade exclusiva do Senhor;
d- Mesmo não recebendo o selo do Espírito, somos propriedade do Senhor;
e- O selo do Espírito Santo é para todos, porque todo homem é propriedade exclusiva do Senhor ;
f- Em Cristo, os crentes são selados com o Espírito Santo, passando por um processo, até tornar-se propriedade exclusiva do Senhor.

2) Várias foram as razões que levaram Paulo a mudar os seus planos de sua ida a Corinto. Em 2 aos Coríntios 1.23-2.4, o apóstolo continua preocupado em justificar as razões que o levaram a desistir da viagem. Qual (is) foi (ram) essa (s) razões?
a- Paulo estava triste e não queria visitá-los em angústia e tristeza;
b- Ele declara que não se trata de qualquer tipo de capricho, orgulho, covardia e muito menos conveniência pessoal, mas sim o fato de evitar constrangimento maior em face da linguagem forte de disciplina contra alguém que havia pecado ,açulando a santidade da igreja;
c- Ele declara que desistiu por capricho, orgulho, covardia e conveniência pessoal;
d- Alguém que era apoiado pelos seus opositores, pecou maculando a imagem da igreja, e Paulo não queria que o tal pecador se arrependesse e fosse perdoado pela igreja;
e- Alguém que era apoiado pelos seus opositores , pecou, maculando a santidade da igreja, e Paulo quis poupar a congregação do exercício desagradável de sua autoridade apostólica , que certamente provocaria ainda mais os humores negativos dos rebeldes no seio da igreja e entristeceria os demais;
f- Ele declara que não se trata de qualquer tipo de capricho, orgulho, covardia e muito menos conveniência pessoal, mas sim o fato de ter perdido a sua autoridade apostólica.

3) Paulo se preocupa com a ameaça dos falsificadores da Palavra de Deus, e; diz que nós somos o bom cheiro de Cristo. Aprendemos que há pregadores mercadores e há aqueles comprometidos com o Evangelho. Com base na lição coloque M para as afirmações sobre mercadores e E para os comprometidos com o Evangelho:
(    ) Agentes que espalhavam a perfumada fragrância de Cristo por onde andavam;
(    ) Tratam a Palavra de Deus como uma mercadoria, um produto de mercado que pode ser vendido e manipulado;
(    ) Oferecem um Evangelho de imitação, corrompido, o qual ilude aos interessados;
(    ) Falava de Cristo com sinceridade na presença de Deus;
(    ) Tratam a Palavra de Deus como uma revelação divina, levando vida àqueles que aceitarem a Cristo e sua Palavra;
(    ) Procuram lucrar injustamente, torciam o Evangelho para tirar proveito próprio em detrimento dos demais.

4) Relacione de acordo com a leitura diária da revista:
(a) Ef 6.6                 (    ) Autenticidade nas convicções
(b) 2 Co 11.2           (    ) Cristo, suprema autenticidade e zelo
(c) 2 Sm 12.7           (    ) Ministrando com autenticidade
(d) 2 Ts 2.5,6          (    ) Servindo a Deus com autenticidade
(e) Gl 2.7-14           (    ) Autenticidade na conduta
(f) Jo 2.13-17; 8.46 (    ) Servindo a Deus com zelo

5)Complete de acordo com a revista:
A glória do ministério ______________ está na simplicidade e ___________________ com que se prega o __________________. Motivos falsos produzem ____________________ falsos, por isso, todos os ______________ do apóstolo ________________ e de seus ______________________ eram o de expandir o _____________de ___________ por toda a terra para a __________________ única do Senhor ________________.

Questionário elaborado por Jonilson Barros Caldas
O gabarito do questionário pode ser solicitado pelo e-mail: jonilsonb.com.br@hotmail.com
Acesse também o blog da Escola Bíblica Dominical do mesmo autor: http://questionariosebdominical.2u.blog.br/

Nenhum comentário:

Resposta de Deus