Amigos

A PAZ DO SENHOR...

Seguidores

Você Está Buscando...

Página Gospel10

Página Gospel+

RSS atualizado do Gospel +. Powered by Notícias Gospel

sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

Tesouro em Vasos de Barro

LIÇÃO 5 - TESOURO EM VASOS DE BARRO

TEXTO ÁUREO
"Temos, porém, esse tesouro em vasos de barro, para que a excelência do poder seja de Deus e não de nós" (2 Co 4.7).

VERDADE PRÁTICA
Embora sejamos frágeis, Deus nos usa para proclamar as Boas Novas e dá-nos poder para realizarmos sua obra.

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE

2 Coríntios 4.7-12
7 - Temos, porém, esse tesouro em vasos de barro, para que a excelência do poder seja de Deus e não de nós.
8 - Em tudo somos atribulados, mas não angustiados; perplexos, mas não desanimados;
9 - perseguidos, mas não desamparados; abatidos, mas não destruídos;
10 - trazendo sempre por toda parte a mortificação do Senhor Jesus no nosso corpo, para que a vida de Jesus se manifeste também em nossos corpos.
11 - E assim nós, que vivemos, estamos sempre entregues à morte por amor de Jesus, para que a vida de Jesus se manifeste também em nossa carne mortal.
12 - De maneira que em nós opera a morte, mas em vós, a vida.

SUBSÍDIO PARA TESOURO EM VASOS DE BARRO

                                    Reconhece suas fragilidades (Is 6.5)
                                    Útil para o Senhor (2 Tm 2.11)
                                    Supera os sofrimentos
"VASO DE BARRO"         Anuncia as Boas Novas (Is 6.8)
                                    Guarda em seu interior um tesouro
                                    Conhecido por seus bons frutos (Mt 7.17-20)

Palavra Chave:Vaso - Utensílio geralmente de barro, frágil e barato, muito utilizado no século I para conter substâncias líquidas ou sólidas.

     A Nova Aliança de Deus introjeta o evangelho com poder dinâmico, transformador (2 Co 3). Por conseguinte, Paulo nem esmorece nem confia em qualquer outra coisa, exceção feita à luz que irradia da própria mensagem do evangelho (2 Co 4.1-6). Muito embora se sinta pouco mais do que um vaso de barro, fraco e vulnerável, esse vaso abriga os maiores tesouros de Deus. Paulo jamais deixou de acreditar muito apesar das dificuldades e reveses vivenciados em seu ministério. Conhecendo a Deus em Cristo, ele confia não somente em seu destino eterno, mas também no destino dos crentes de Corinto (vv.13-15). Paulo não desanima, pois mantém seus olhos fixos nas verdades eternas que, muito embora não sejam visíveis, podem ser experimentadas, e não nos aborrecimentos temporários e nas tribulações momentâneas que marcam a vida na terra (vv. 16-18).
     Pela manifestação da verdade (2 Co 4.1-2). Não hesite em deixar claro se você não for tão habilidoso ou talentoso ou ainda tão culto quanto os outros. O importante é a mensagem, não o mensageiro.
     Pregadores, ensinadores e qualquer pessoa que fale a respeito de Jesus Cristo devem se lembrar de que estão na presença de Deus – Ele ouve cada palavra. Quando você fala a respeito de Cristo para as pessoas, deve ter cuidado para não distorcer a mensagem a fim de agradar a seu público. Proclame a verdade da Palavra de Deus.
     O Evangelho encoberto (2 Co 4.3-4). Não se recrimine se os outros rejeitarem a apresentação clara do evangelho. Satanás “cegou o entendimento” dos incrédulos. Não temos condições de afirmar como isso acontece, mas o título de “deus deste século” implica dizer que os cidadãos deste mundo estão dispostos a se submeter e a seguir os caminhos de Satanás.
     As Boas Novas são reveladas a todos, exceto àqueles que se recusam a crer. Satanás é “o deus deste século”. Seu trabalho é enganar, e ele cegou aqueles que não crêem em Cristo (cf. 2 Co 11.14,15). O amor ao dinheiro, ao poder e ao prazer cega as pessoas para a luz do evangelho de Cristo. Aqueles que rejeitam a Cristo e preferem suas próprias ocupações inconscientemente fizeram de Satanás o seu deus.
     Este século (2 Co 4.4). Esta frase temporal aparece de várias formas diferentes (por exemplo: “no presente século”, Tito 2.12, “deste mundo perverso”, em Gálatas 1.4). Este século está longe da perfeição, pois as forças espirituais do mal estão armadas contra o evangelho. Não obstante, até mesmo nestas trevas a luz do Evangelho resplandece.
     “Não pregamos a nós mesmos” (2 Co 4.5). O enfoque da pregação de Paulo era Cristo, e não ele próprio. Ao testemunhar, fale às pessoas a respeito daquilo que Cristo fez, e não sobre suas próprias habilidades e realizações. As pessoas devem ser levadas a Jesus, não a você. E se você ouvir alguém pregando sobre si mesmo ou suas próprias ideias em vez de Cristo, tenha cuidado – saiba que se trata de um falso pregador.
     A preciosa mensagem da salvação em Jesus Cristo, que tem um valor supremo, foi confiada por Deus a seres humanos frágeis e falíveis. O enfoque de Paulo, porém, não estava no recipiente perecível, mas em seu conteúdo de valor inestimável – no poder de Deus que habita em nós. Mesmo sendo fracos, Deus nos usa para transmitir suas Boas Novas e nos dá poder para fazer a sua obra. Saber que o poder é de Deus, e não nosso, deve nos afastar do orgulho e nos motivar a manter nosso contato diário com Ele, nossa fonte de poder. Nossa responsabilidade é deixar que as pessoas vejam Deus por nosso intermédio.
     Tesouro em vasos de barro (2 Co 4.7). Vasos de cerâmica, para cozimento..., eram encontrados em todas as cozinhas das casas do século primeiro. Os vasos de barro eram os objetos menos valorizados pela dona de casa. Quebravam-se com facilidade e eram baratos, de fácil reposição. Por outro lado, os vasos de metal ou de vidro eram caros e muito provavelmente, colocados em exposição. Paulo se via como um vaso de barro. O importante é o ministério e a mensagem que transmitia ao mundo. Muitas vezes, no Oriente, os tesouros são escondidos em vasos de barro para protegê-los da umidade (cf. Jr 32.14). O apóstolo não queria estar em evidência, como se ele ou qualquer outro servo de Deus é que fossem importantes. Aqui se refere ao poder do Espírito Santo por meio da luz do evangelho em nosso corpo. A ênfase está na diferença entre um vaso frágil de barro e o inestimável tesouro do poder que está nele. Assim também hoje, o Espírito que habita em nós e o evangelho que partilhamos merecem prioridade.
     O cristão é um “vaso de barro” que, às vezes, passa por tristezas, lágrimas, aflições, perplexidades, fraquezas e temores (cf. 2 Co 1.4,8,9; 7.5). Mas o cristão não é derrotado por causa do “tesouro” celestial que nele está. O cristianismo não é a eliminação da fraqueza, nem meramente a manifestação do poder divino através da fraqueza humana (2 Co 12.9). Isto significa (1) que em toda aflição podemos ser mais do que vencedores mediante o poder e o amor de Deus (Rm 8.37), e (2) que nossas fraquezas, aflições e sofrimentos, nos tornam totalmente receptivos à graça abundante de Cristo, e permitem que a sua vida seja manifesta em nossos corpos (vv. 8-11; cf. 2 Co 12.7-10).
      Sujeito à morte (2 Co 4.7-12). Neste mundo perverso, a vida ministerial de uma pessoa não é fácil. Enquanto a grande maioria está cega para o Evangelho, os crentes são imaturos e antagônicos. A vida ministerial é dolorosa, com muita pressão e sofrimento.
Paulo nos lembra que, embora, às vezes, possa parecer que estamos sendo quase vencidos, nunca devemos perder a esperança. Nosso corpo perecível está sujeito a pecar e sofrer, mas Deus nunca nos abandona. Por Cristo ter vencido a morte, temos a vida eterna. Todos os nossos riscos, humilhações e provas são oportunidades de Cristo demonstrar seu poder e sua presença em nós e por nós.
     Paulo enfrentou sofrimentos, aflições e angústia ao pregar o evangelho. Mas sabia que um dia isso terminaria e que ele obteria o descanso e as recompensas de Deus. Quando enfrentamos grandes dificuldades, é fácil enfocarmos a dor em vez de nossa meta final. Da mesma maneira que os atletas se concentram na linha de chegada e ignoram seu desconforto, nós também devemos enfocar a recompensa por nossa fé e a alegria que dura para sempre.Não importa o que nos aconteça nesta vida, temos a garantia da vida eterna, quando todo o sofrimento e toda tristeza desaparecerá (Is 35.10).
     Com os olhos fixos no eterno (2 Co 4.16). O que capacita Paulo a ministrar de maneira tão otimista é a sua firme convicção de que as coisas que se veem são temporais. Alguém se deleitaria em fazer a vida de Paulo infeliz? Continuam eles a abordar questões sem qualquer discernimento espiritual? Sim, mas isso é temporário. Paulo olha além, em direção à fidelidade de Deus e permanece confiante de que o Espírito de Deus haverá de transformar o imaturo e glorificá-lo até mesmo nessa companhia carnal.
     É fácil desfalecer e desistir. Todos nós enfrentamos problemas em nossos relacionamentos ou em nosso trabalho que nos levam a pensar em parar. Em vez de desistir ao ser alcançado pela perseguição, Paulo concentrou-se em sua força interior, que vinha do Espírito Santo (Ef 3.16). Não deixe que a fadiga, a dor ou a crítica lhe forcem a abandonar a obra de Deus. Renove seu compromisso de servir a Cristo. Não abandone sua recompensa eterna por causa da intensidade da dor que você está sentindo hoje. É a sua fraqueza que permite que o poder da ressurreição de Cristo lhe fortaleça a cada momento.
     Nossa maior esperança quando estamos experimentando uma enfermidade terrível, perseguição ou dor é a certeza de que esta vida não é tudo o que há – existe vida após a morte! Saber que viveremos para sempre com Deus em um lugar sem pecado e sofrimento pode nos ajudar a viver acima da dor que enfrentamos nesta vida... Quando alcançarmos a nossa herança no céu, poderemos dizer que as tribulações mais severas não eram nada em comparação com a glória do estado eterno. Não devemos, portanto, desesperar-nos, perder a esperança, nem deixar nossa fé diminuir, em meio aos nossos problemas. (Bíblia de Estudo Aplicação Pessoal. Rio de Janeiro, CPAD, 2004, pp. 1615-16; Bíblia de Estudo Dake. Rio de Janeiro, CPAD, Editora Atos, 2009, pp.1856; Bíblia de Estudo Pentecostal. Rio de Janeiro, CPAD, 1995, pp. 1774; RICHARDS, Lawrence O. Guia do Leitor da Bíblia. Rio de Janeiro, CPAD, 2005, pp.777).

GRAÇA DOMINICAL
Uma Pequena Semente, Uma Pequena Ação
Porque quem despreza o dia das coisas pequenas? Pois esse se alegrará. Zacarias 4.10

          Contra um gigante imenso, um cascalho de ribeiro parece ineficaz. Mas Deus o usou para derrubar Golias. Comparadas com os dízimos dos ricos, as moedas da viúva parecem insignificantes. Mas Jesus as usou para nos inspirar...
          Moisés tinha uma vara.
          Davi tinha uma funda.
          Sansão tinha uma queixada.
          Raabe tinha uma corda.
          Maria tinha um pouco de unguento.
          Dorcas tinha uma agulha.
          Todos foram usados por Deus.
          O que é que nós temos?
          Deus habita a pequena semente, capacita a pequena ação... Não despreze a pequenez das suas ações. (LUCADO, Max. Graça para o Momento- Vol. II. 1ª Ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2008, p 393).
________________________________________





QUESTIONÁRIO LIÇÃO 5 – TESOURO EM VASOS DE BARRO – 1º TRIMESTRE 2010 –Elaborado por Jonilson Barros Caldas
ALUNO ______________________________________
CLASSE ____________________________ NOTA ___

1) Paulo declara que a misericórdia divina foi o dom imerecido que tornou possível ao seu ministério revelar a nova aliança como superior à luz do esplendor de Moisés (2 Co 3.6-18).Tomando como base a informação acima, sabendo-se que somente uma afirmação abaixo é verdadeira, é correto afirmar:
a - O apóstolo não estava fazendo comparações de seu ministério com o de Moisés, mas sentia-se privilegiado pelo Senhor de trazer à tona o que estava encoberto. Esse privilégio deu-lhe conta de sua própria indignidade;
b - O apóstolo estava fazendo comparações de seu ministério com o de Moisés, mas sentia-se privilegiado pelo Senhor de trazer à tona o que estava encoberto. Esse privilégio deu-lhe conta de sua própria indignidade;
c - O apóstolo não estava fazendo comparações de seu ministério com o de Moisés, mas sentia-se privilegiado e digno pelo fato de o Senhor usá-lo para trazer à tona o que estava encoberto;
d - O apóstolo estava fazendo comparações de seu ministério com o de Moisés, e sentia-se privilegiado e digno pelo fato de o Senhor usá-lo para trazer à tona o que estava encoberto;
e - O apóstolo estava fazendo comparações de seu ministério com o de Moisés, sentindo-se digno por produzir bons frutos em prol do Evangelho;
f- O apóstolo não estava fazendo comparações de seu ministério com o de Moisés, nem reconhecendo suas fragilidades, buscando apenas anunciar as Boas Novas.

2) Coloque V para verdadeiro e F para falso:
a (    ) Em 2 aos Coríntios 4.4, Paulo chama Satanás de “deus deste século”, a fim de mostrar que o opositor rege o pensamento predominante no mundo;
b (    ) Paulo revela as causas que o sustentaram em meio aos sofrimentos durante o seu ministério, as quais são: amor à obra, confiança na ressurreição e gozo eterno;
c (    ) Paulo se coloca como um “vaso de barro”, pequeno e frágil, porém capaz de guardar um tesouro indestrutível;
d (    ) Os cristãos judaizantes acusavam, opositores de Paulo, acusavam-no de haver distorcido a mensagem, todavia, o apóstolo não defende-se , por não ter argumento;
e (    ) Os que rejeitam o Evangelho põem-se sob o poder das trevas, que os impede de conhecer o Senhor Jesus Cristo;
f (    ) Paulo se coloca como um “vaso de barro”, pequeno e frágil, sentindo-se incapaz de guardar um tesouro indestrutível.

3) Paulo apresenta o conteúdo dos vasos de barro (2 Co 4.1-6), onde prossegue na defesa de seu apostolado e, ao usar a figura do “vaso de barro”, indica a debilidade e a pequenez de tal utensílio diante de sua riqueza interior. Tomando-se como base o texto em estudo, considere as afirmações abaixo:
a – Isso só era possível porque o poder de Deus o capacitava a ser digno a guardar o glorioso tesouro;
b- Naqueles dias, surgiam pregadores que falavam como meros profissionais, sem nenhum compromisso com a veracidade daquilo que pregavam. Paulo surge com uma mensagem de esperança e, agindo como bom mestre, declara que o conteúdo de seu ensino não é falsificado;
c - Seus oponentes acusavam-nos de que havia conteúdos adulterados e falsos em seus discursos, no entanto, Paulo refuta essa acusação, afirmando que a mensagem que ele e seus companheiros anunciavam era genuína e verdadeira.
d - Os cristãos judaizantes, opositores de Paulo, acusavam-no de haver distorcido a mensagem, todavia, o apóstolo defende-se com os seguintes argumentos: o que pregava era algo revelado, a Palavra de Deus, a verdade do Evangelho, as Boas Novas;
e - Em vez de a mensagem de salvação ser revelada mediante uma demonstração sobrenatural, a glória do Evangelho é manifesta através de homens frágeis - vasos de barro. Deus tem poder sobre o barro e sobre os vasos; Ele é o Oleiro;
f - Quando falamos de "vasos de barro", referimo-nos à fragilidade e à pequenez de nossos corpos ilustradas pelo apóstolo Paulo. Enquanto temos vida física, Deus dignifica-nos a sermos guardiões de um valiosíssimo tesouro - o Evangelho.
Agora marque a opção correta:
I- Todas as afirmações são verdadeiras;
II- Todas as afirmações são falsas;
III- somente as afirmações a, c, d são verdadeiras;
IV- Todas as afirmações são verdadeiras, exceto c;
V- Somente a, d, e são verdadeiras;
VII – As afirmações a,b,c são verdadeiras e as demais falsas.

4) Relacione de acordo com a leitura diária:
(a) Is 45.9      (    ) O vaso do oleiro
(b) Is 64.8       (    ) Vasos para honra
(c) Jr 18.6       (    ) Um vaso escolhido
(d) Rm 9.21    (    ) Vasos utilizados na obra de Deus
(e) At 9.15      (    ) Cacos de barro
(f) Co 4.5       (    ) Barro nas mãos do oleiro

5) Complete de acordo com a revista:
A ___________________ que dominava o _________________ de Paulo - e que não se restringe somente a ele, mas abrange todos os _________________ em Cristo - era a ____________________ do corpo __________________.
Ainda que tenha _____________________ a morte muitas vezes, o _______________ do apóstolo não ___________________. Por isso, ele diz que, _____________________, nossos corpos físicos se__________________, mas a ___________________da ________________garante a vida_________________.

Questionário elaborado por Jonilson Barros Caldas
O gabarito do questionário pode ser solicitado pelo e-mail: jonilsonb.com.br@hotmail.com
Acesse também o blog da Escola Bíblica Dominical do mesmo autor: http://questionariosebdominical.2u.blog.br/

Nenhum comentário:

Resposta de Deus